Repolho: sucesso na tropicalização de brássicas

Com origem na região do mediterrâneo (Europa), o repolho sempre foi uma cultura de clima ameno, bem diferente do clima tropical da maior parte do território brasileiro. Fator que, por muito tempo, fez com que o cultivo desta hortaliça fosse realizado apenas no período de inverno e concentrado nas regiões Sul e Sudeste do país.

Diante disto, a Sakata desempenhou um papel importantíssimo, ao longo dos anos, no desenvolvimento de novas variedades adaptadas ao clima tropical. Por meio de grande investimento e conhecimento técnico em melhoramento genético convencional, a Sakata incorporou aos híbridos características como tolerância ao calor, resistência às principais doenças e rusticidade para adaptação às condições brasileiras de cultivo.

O grande desafio da tropicalização, desde o início, foi a adaptação dos híbridos às altas temperaturas e à umidade, que exigem maior resistência ao pendoamento precoce, ao “cracking” (rachamento) e tolerância a pragas e doenças, principalmente bacterioses, como a Xanthomonas.

Vale destacar ainda que, no passado, as pesquisas para o desenvolvimento de novos híbridos com genética superior eram baseadas exclusivamente ao atendimento das demandas dos produtores, com foco nos desafios do cultivo. Porém, passou a ser necessário também atender às demandas do consumidor final, que segue cada vez mais exigente. Foi preciso ainda realizar a diversificação da cultura (diferentes segmentos ou tipos) e oferecer produtos com melhores propriedades organolépticas, agregando ainda coloração atrativa, maior palatabilidade, melhor sabor, textura crocante, adaptação ao processamento – com folhas menos quebradiças e mais tolerantes à oxidação – e grande durabilidade pós-colheita.

Desta forma, a Pesquisa da Sakata tem trabalhado intensamente, há mais de 50 anos, no desenvolvimento de híbridos de repolho mais eficientes e inovadores do ponto de vista de cultivo, qualidade, transporte e processamento. Um fato curioso é que desde a Pesquisa até a disponibilidade comercial de uma nova variedade, o tempo estimado de desenvolvimento é de, pelo menos, 10 anos. Um trabalho brilhante que resultou numa linha completa de repolhos para as diferentes condições de clima e solo da América do Sul, tendo como destaques as variedades Anzu, Suzaku, Fuyutoyo, Nozomi e Red Jewel – as melhores opções dentro de seus respectivos segmentos.

Boa leitura!

Talita Scholl, Gerente de Produtos da Sakata Seed Sudamerica

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.