Pioneirismo na tropicalização de alfaces

A alface está entre as principais hortaliças consumidas no Brasil, sendo, por isto, uma cultura de grande importância econômica para os produtores. Contudo, como a alface é originária do Mediterrâneo, região de clima ameno, o grande desafio desde o início para a tropicalização foi a adaptação das variedades às altas temperaturas e umidade, que exigem variedades mais resistentes ao pendoamento precoce e tolerantes às pragas e doenças.

E foi graças a um complexo trabalho de melhoramento genético iniciado pela Sakata no Brasil, que novas variedades foram surgindo e se adaptando ao clima brasileiro, permitindo assim, o cultivo durante o ano todo, e não apenas no período de inverno, bem como em todo o Brasil, não se limitando apenas às regiões sul e sudeste.

Neste contexto, há décadas a empresa desempenha um papel fundamental, realizando grandes investimentos em melhoramento genético convencional, que incorpora características às variedades como: tolerância ao calor, resistência às principais doenças e rusticidade, para que a hortaliça se adapte cada vez mais às condições tropicais de cultivo.

Frutos desse trabalho, algumas variedades comerciais se tornaram referências no mercado, devido à quebra de paradigmas pelo grande avanço tecnológico que proporcionaram em sua época, tais como:

  • Lisas – Áurea, Elisa, Regiane e Larissa;
  • Crespas – Verônica, Vera, Vanda, Valentina, Isadora e Jade;
  • Roxas – Scarlet e Carmim;
  • Americanas – Tainá, Silvana, Dora e Serena;
  • Mimosas – Mimosa Sakata, Lavínia e Angélica;
  • Romana – Sophia.

Todo este trabalho é liderado pela Pesquisa da Sakata Brasil, que conta com uma equipe de excelência científica englobando o melhoramento genético, fitopatologia e biotecnologia. Além disto, um corpo técnico altamente qualificado, conduz os diversos trabalhos de campo na Estação Experimental de Bragança Paulista e em campos de produtores parceiros localizados em diversos lugares do país. Este time é dedicado exclusivamente à pesquisa e ao desenvolvimento de variedades de alface geneticamente superiores, tanto para campo aberto, como para hidroponia, telado e estufa.

Desta forma, a Sakata tem trabalhado intensamente no desenvolvimento de variedades mais eficientes e inovadoras em diversos aspectos: cultivo, qualidade, transporte e processamento. Sempre atenta às principais demandas de mercado, a empresa prima por agregar as características mais exigidas – brilho, cor atrativa, sabor e maior qualidade nutricional – tanto por produtores, comercializadores, quanto pela indústria de processamento e pelo consumidor final.

Boa leitura!

Aniello Filho, Coordenador de Melhoramento Genético da Sakata

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.