Cristian Antônio Machioski, de Ribeirão das Onças, Colombo (PR)

Há quase 40 anos, a família do produtor Cristian Antônio Machioski é cliente da Sakata. O cultivo de hortaliças, iniciado pelo seu pai, é hoje conduzido por ele na empresa que leva o seu sobrenome, a Machioski Hortifruti. Localizada na área de Ribeirão das Onças, no município de Colombo (PR), o seu principal foco de atuação é a produção de folhosas, tendo como carro-chefe o cultivo de alfaces dos tipos Crespa e Americana.

Machioski já utiliza na produção as variedades Vanda (Crespa), além de Dora e Serena (Americanas de Verão), tendo passado a produzir também nas últimas safras, durante o período mais frio do ano, a cultivar Silvana (Americana de Inverno). Desta forma, ele conseguiu aumentar ainda mais a rentabilidade do seu negócio, além de atender a demanda de mercado com o fornecimento de alface durante o ano todo.

O produtor elenca diversos diferenciais proporcionados pela alface Silvana e que, segundo ele, são perceptíveis desde o momento da compra da muda para a realização do plantio. “Já na muda, vemos que a Silvana é muito mais robusta do que as demais. Além disso, durante o cultivo, ela suporta muito mais as doenças, principalmente no inverno, quando as folhosas geralmente não são tão produtivas, ao contrário dela, que apresenta um vigor maior de planta, mesmo no inverno”, afirma.

Outra vantagem, apontada por Machioski, é que a maior resistência de Silvana também contribui para a redução no uso de insumos no manejo. “Utilizo bem menos produtos químicos, economizando tempo e recursos”, explica. Na hora da comercialização, o produtor comenta que a variedade também impressiona, pelo seu “porte grande, com cabeça de tamanho maior, bem fechada e muito firme”, atraindo os consumidores no momento da escolha. Ele complementa ainda que “a grande quantidade de folhas de Silvana é excelente para o mercado de processamento, sendo fundamental para maior lucratividade quanto ao peso do produto, aumentando assim a rentabilidade nas vendas”.

Além destes benefícios, o feedback obtido nos pontos de vendas pelos parceiros comerciais do produtor é bastante positivo, principalmente quanto à elevada durabilidade pós-colheita e à ótima permanência da coloração e do frescor do produto nas gôndolas.

Atualmente, o produtor cultiva cerca de 15 mil a 20 mil plantas da alface Silvana por mês e comercializa a sua produção em estabelecimentos de todo o estado do Paraná, desde pequenos mercados e restaurantes até grandes supermercados e redes atacadistas. O distribuidor da Sakata que atende Machioski localmente é a Comercial Colombense, cujo atendimento o produtor afirma ser muito bom. “Sempre me ajudam em indicações de produtos, novos compradores e em dúvidas que surgem durante o plantio. Temos uma parceria muito boa”, finaliza ele.

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.