Sakata oferece sementes para cultivo até embaixo d’água

Esforços de pesquisa da empresa também são direcionados para criação de genética adaptada à crescente adesão ao cultivo hidropônico no país

Ao longo dos últimos anos, tem crescido a preferência pelo cultivo em hidroponia por parte de produtores de folhosas, principalmente de alface, em todo o Brasil. A técnica, que é um tipo de cultivo protegido, consiste em utilizar uma solução aquosa em substituição ao solo. Dentre as principais vantagens deste sistema estão: a padronização e o melhor controle do ambiente radicular e do crescimento vegetativo das plantas; redução no uso da água e de agroquímicos; uso eficiente de fertilizantes; melhor ergonomia no manejo; alta qualidade e precocidade do produto final; maior quantidade de produção por metro quadrado, dentre outros benefícios.

Vale ressaltar apenas que, para a implementação e uso do cultivo hidropônico, é necessário que o produtor tenha a estrutura básica necessária, conhecimento específico sobre os aspectos nutricionais demandados, além dos insumos adequados para produção neste tipo de ambiente, a fim de obter resultados satisfatórios. Por isso, segundo a Gestora de Produtos da Sakata, Talita Scholl, um dos pontos de maior importância para produção em hidroponia é a escolha correta das variedades que serão utilizadas. “É preciso que as sementes adquiridas sejam de cultivares adequadas e adaptadas para utilização neste tipo de sistema de cultivo, assegurando uma melhor performance na produção”, explica.

Para atender esta demanda crescente de mercado, a Sakata tem desenvolvido todos os anos, novos produtos que oferecem a mesma superioridade genética já comprovada em campo aberto, também para o cultivo hidropônico e em ambiente protegido. Prova disto é o seu atual e extenso portfólio de produtos, com variedades que apresentam as características ideais para uso em hidroponia que contemplam culturas como alface, rúcula, salsa, cebolinha, coentro, agrião, almeirão, chicória, mini couve-chinesa, dentre outras.

Um dos destaques é a alface Isadora, do tipo Crespa. “Ela possui grande flexibilidade na colheita, assegurando que as plantas mantenham um padrão comercial por muito mais tempo, além de resistência às principais raças de míldio. Outros diferenciais da Isadora são a coloração verde escura brilhante, as folhas largas e a alta crespicidade, que chamam a atenção do consumidor nas gôndolas”, afirma Talita.

No segmento de alface Crespa Roxa, a profissional aponta a variedade Carmim como a de maior destaque, pois “a cultivar apresenta coloração roxa intensa, mesmo em sistema hidropônico, além das mesmas resistências ao míldio que a alface Isadora possui, acrescida de moderada resistência ao Pythium”, sinaliza ela. Já na categoria de alface do tipo Americana de Verão, a gestora indica a variedade Angelina como a mais interessante, “por ser altamente adaptada às condições hidropônicas de cultivo”, enfatiza.

Além destes, muitos outros produtos que compõem o portfólio da Sakata se destacam e são recomendados para o cultivo hidropônico. Confira abaixo, outras variedades da empresa que são destinadas também para a produção em hidroponia.

 

Alface Milena (Crespa): reúne resistência à precocidade e ao Pythium, além de ser a única variedade disponível no mercado com resistência moderada ao Vira-Cabeça (Tospovírus). Suas plantas de grande porte, com folhas compridas e largas, impactam visualmente, pois mantêm o aspecto de frescor por muito mais tempo.

 

Alface Regiane (Lisa): suas plantas grandes e de formato cônico, apresentam encaixe perfeito no sistema hidropônico e em embalagens plásticas. Sua rusticidade e ciclo precoce conquistam produtores de hidroponia e de campo aberto.

Angélica (Mimosa): de coloração verde brilhante e folhas com bordas repicadas, a alface Angélica é uma boa opção para decoração de pratos, com excelente sabor e textura, características bastante atrativas. A variedade apresenta ainda boa resistência à queima de bordos (deficiência de Cálcio), ao pendoamento precoce e às principais raças de míldio que acontecem no Brasil.

Alface Mila (Mimosa Roxa): possui plantas grandes e folhas com bordas repicadas de coloração roxa. É diferenciada na comercialização por possuir folhas tenras e de ótimo sabor (segmento Salad Bowl Roxa).

 

Chicória Helena: tem como ponto forte a constância no fornecimento – aspecto importante para a comercialização –, e a qualidade das plantas em termos de tamanho, coloração e durabilidade pós-colheita.

 

Rúcula Astro: além de muito produtiva, conferindo rendimento e precocidade, a variedade tem como grande destaque a qualidade visual dos maços, muito bem formados e com folhas largas.

 

Salsa Chácara: variedade com plantas rústicas e vigorosas, resultando em alta produtividade, rendimento e precocidade.

 

Cebolinha Totem: proporciona alto rendimento aliado à qualidade.

 

Minicouve Chinesa Sayuri: com peso médio de 1,5kg e formato oval, possui folhas enrugadas e crocantes, de cor verde clara brilhante e sabor mais adocicado. Seus grandes atributos são a ausência de tricomas nas folhas externas, tamanho diferenciado (mini), adaptação ao cultivo hidropônico e possibilidade de cultivo durante o ano todo.

 

Espinafre Pina (Japonês/Horenso): possui folhas tenras e de excelente coloração verde-escura, características bastante atrativas para o mercado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.