Um novo ciclo, novas perspectivas

A Sakata acaba de encerrar o seu ano fiscal, que compreendeu o período de abril de 2017 a março de 2018, um ciclo marcado por ótimas conquistas, que motivam a empresa a iniciar um novo ano ainda mais confiante.

Contudo, sabemos que este foi um período também de muitas dificuldades tanto para o mercado de sementes de hortaliças, quanto para o de flores – reflexo da crise financeira e dos problemas políticos que assolaram o país nos últimos anos, afetando os hábitos de consumo da população.

Esta freada no consumo trouxe um efeito em cadeia, viabilizando apenas grandes volumes de vendas de produtos com baixo custo ou em promoções, uma vez que o consumidor viu seu poder de compra reduzido. A pressão por queda de preços pelos varejistas levou a uma significativa queda na inflação, de 10,7% em 2015, para 6,29% em 2016 e para 2,95% em 2017.Os alimentos tiveram redução de preços na ordem de quase 2% em 2017,e novamente quem pagou a conta foram os produtores, o que causou um desequilíbrio na cadeia de suprimento de insumos.

O cenário da comercialização de sementes mudou bastante: apresentou um crescimento médio anual de 15% nos últimos sete anos, porém, em 2017, houve um avanço de apenas 5%. O mercado reporta queda de até 4% nas vendas de sementes de hortaliças. Mais do que isso, presenciamos um cenário preocupante nos investimentos futuros em tecnologia neste próximo ano, devido à atual descapitalização do produtor.

Agora, iniciando um novo ano fiscal, a Sakata se depara com melhoras sensíveis nos indicadores econômicos, com o PIB aumentando em torno de 3%, o que deve ampliar um pouco as recontratações na área e a renda familiar, melhorando o consumo em geral. Tais mudanças indicam tempos melhores e a Sakata segue confiante na melhora dos negócios, buscando investir sempre mais na inovação de seus produtos e no aprimoramento de seus serviços, ajudando a cadeia produtiva a recuperar o ano perdido.

A Sakata está permanentemente ao lado dos produtores, apoiada pelo seu sistema de distribuição, na busca por uma melhor produção de hortaliças e flores para atender as necessidades e anseios dos consumidores. Contem sempre conosco!

Boa leitura a todos!

Marcello Takagui, presidente da Sakata Seed Sudamerica

Importância genética para o mercado nacional e internacional de melão

O Brasil é um dos principais países produtores e exportadores de melão, sendo reconhecido pela capacidade de produzir frutos de excelente qualidade para atender o mercado de exportação, principalmente durante os invernos europeu e americano.

Atualmente, o melão está entre as culturas mais estratégicas para os negócios do Grupo Sakata em escala global, sendo a Sakata Seed Sudamerica uma das unidades do Grupo responsável pela criação de híbridos desta cultivar em escala mundial para os principais mercados consumidores, tais como: Brasil, Espanha, Costa Rica e Norte da África. Dentre os grupos varietais de melão produzidos no Brasil destacam-se o Amarelo e o Pele de Sapo, que devido à importância que possuem, integram um programa de melhoramento genético totalmente exclusivo e focado no desenvolvimento de novas variedades adaptadas às condições de clima e solo do país.

O programa de melhoramento destas espécies de melão tem como objetivo a criação de cultivares híbridas com plantas altamente vigorosas, excelente cobertura foliar, grande produtividade comercial de frutos, alto conteúdo de sólidos solúveis totais, excelente firmeza de polpa, ótima qualidade interna dos frutos (cavidade das sementes pequena e fechada), sabor diferenciado, longa durabilidade pós-colheita, resistência às principais pragas (Larva Minadora) e doenças (Oídio, Macrophomina phaseolina, Didymella brioniae, Amarelão e Fusarium). Além disso, a empresa se preocupa ainda com o desenvolvimento de variedades que sejam estáveis e adaptadas às diferentes condições climáticas de cultivo, especialmente as do Nordeste brasileiro que se caracterizam pela ocorrência de altas temperaturas, estresse hídrico e alta salinidade da água e solo.

Para atender todas estas exigências dos mercados de melão Amarelo e Pele de Sapo, o programa de melhoramento genético convencional da Sakata conta com uma equipe técnica especializada e uma ampla estrutura física no Brasil, composta por duas Estações de Pesquisa.Na Estação de Pesquisa de Bragança Paulista (SP) concentram-se as atividades relacionadas à obtenção de populações-base para a extração de linhagens, avanço e seleção de linhagens com o auxílio do suporte técnico em fitopatologia e biotecnologia, melhoramento de linhagens elites, obtenção de novos híbridos e incremento de sementes de híbridos em desenvolvimento. Já na Estação Experimental do Nordeste, situada em Baraúna (RN) – uma das principais regiões produtoras de melão do Brasil – o foco principal das atividades é a avaliação e seleção de linhagens e de híbridos de melão Amarelo e Pele de Sapo, nas principais regiões e épocas de produção da cultivar no Nordeste brasileiro.

Vale destacar ainda que esta estrutura também presta suporte para outros programas de melhoramento genético do Grupo Sakata em outros segmentos de melão, tais como: Harper, Honey Dew, Gália, Cantaloupe e Charentais; bem como para híbridos de melancia, especialmente as do tipo triploides (sem sementes).

O grande objetivo de todo este trabalho liderado pela companhia é contribuir para a construção de um portfólio robusto e completo de cucurbitáceas que atendam às necessidades dos produtores do Brasil.

Boa leitura!

Alex Figueiredo, Melhorista de Melão da SDA

Mercados de melão e melancia em plena evolução

Sakata segue investindo cada vez mais em pesquisas para o desenvolvimento de melões e melancias com foco nas mudanças e exigências do mercado de exportação

Os últimos dados divulgados pela Secretaria de Comércio Exterior do Brasil (Secex) indicam uma leve retração no volume embarcado das exportações de melão durante a temporada 2017/2018, ainda em vigência, com uma quantidade 3% menor frente ao mesmo período do ano passado. Este índice se deve, principalmente, à crise hídrica nos estados do Rio Grande do Norte e do Ceará e também a uma maior incidência da larva-minadora, que prejudicou a produtividade e a qualidade das frutas, resultando em um brix menor. Uma situação que também se somou ao aumento da demanda por melancia na Europa, hortaliça que vem ganhando espaço no mercado devido à menor variação na qualidade dos frutos ofertados ao consumidor.

Porém, segundo Eduardo Cleto, Gestor de Produtos da Sakata, “embora haja o registro de redução no volume de melão exportado, os valores recebidos na comercialização foram 6% superiores quando comparados ao ano anterior, com média de US$ 121 milhões (FOB), resultado influenciado possivelmente pela alta do dólar durante o período, o que deve manter o ânimo dos exportadores quanto a novos investimentos na cultura”, explica.

Diante deste contexto de mudanças na produção e das novas demandas para a comercialização, com um cenário promissor, a Sakata segue investindo fortemente na ampliação de seu portfólio de melões e melancias com foco na exportação, buscando lançar híbridos diferenciados e inovadores para o mercado.Sempre atenta às características genéticas necessárias para atender às demandas apresentadas pelo mercado externo, bem como para garantir a segurança e a rentabilidade que os produtores precisam, a empresa possui um programa especial de pesquisas para o desenvolvimento de novas variedades da cultivar.

Exemplo disto é o melão amarelo Dalí, um dos lançamentos da empresa, desenvolvido para atender as novas necessidades que surgiram neste mercado. O melão Dalí apresenta frutos que pesam entre 1,4kg a 2kg e que possuem o tamanho ideal para exportação (tipo 7-10, caixa de 13kg). Além disso, esta variedade possui excelente sabor e qualidade de polpa, sucesso garantido junto ao consumidor final.

No mercado de melancia sem sementes, a grande novidade desenvolvida pela Sakata é a melancia Estona. Com casca do tipo Crimson Sweet, de cor verde escura e excelente firmeza de polpa, os frutos desta variedade têm em média 3kg, tamanho ideal para o mercado europeu. Além disso, seu ótimo pós-colheita proporciona melhor qualidade de polpa quando os frutos chegam ao destino final, o que é fundamental para atender o exigente consumidor externo.

Cleto comenta que tanto o melão Dalí, quanto a melancia Estona, já foram aprovados pelos produtores da região de Mossoró (RN), que tiveram a oportunidade de conhecer os resultados destas variedades a campo durante os plantios em 2017. “Este retorno positivo indica que a companhia está no caminho certo, compreendendo as principais demandas de mercado e com ótimas perspectivas de crescimento nas vendas com estes dois novos materiais em 2018”, acredita.

| Para saber mais sobre o programa especial de pesquisas voltado para o desenvolvimento de novos híbridos de melão e melancia para exportação, bem como toda a estrutura montada pela empresa para a realização deste trabalho, confira o “Editorial” desta edição do Informativo Sakata Acontece (março de 2018) |

Sakata participa da Fruit Logistica 2018 na Alemanha

Considerado o maior evento mundial de marketing focado principalmente no segmento de frutas e hortaliças há muitos anos, a Fruit Logistica foi realizada em 2018, entre os dias 8 e 10 de fevereiro, em Berlim, na Alemanha.

Mais uma vez, a Sakata marcou presença no evento com um estande, no qual recebeu clientes e visitantes das mais diversas partes do mundo, que estavam em busca de novidades e tendências relacionadas a este segmento de mercado.

De acordo com o Diretor de Marketing da Sakata Seed Sudamerica, Paulo Koch, que representou a companhia na ocasião, “este evento reúne em um só local as inovações mundiais mais recentes tanto em produtos, quanto em serviços, abrangendo todos os elos da cadeia de hortifrúti desde o cultivo até a exposição no ponto de venda, sendo uma oportunidade única para os visitantes e as empresas que participam”.

Em sua 26ª edição, a feira reuniu mais de três mil expositores e um público superior a 78 mil visitantes.

Dia de Campo de Folhosas

No dia 8 de fevereiro, aconteceu um dia de campo especial de Folhosas de verão, na cidade de Suzano (SP), região do Cinturão Verde de São Paulo. O evento foi realizado pelo distribuidor Yoshida & Hirata, em parceria com a Sakata e outros fornecedores de insumos agrícolas, e reuniu 15 grandes e importantes produtores de folhosas da região.

Na ocasião, foram apresentados os lançamentos de folhosas da Sakata, especialmente adaptadas às condições tropicais de cultivo, como as alfaces: Dora e Serena (Americana de Verão), Isadora e Jade (Crespa Verde), Carmim (Crespa Roxa), Larissa (Lisa), Angélica (Mimosa), além da Chicória Helena e da Cebolinha Totem, produtos que possuem grandes diferenciais de mercado.

Reconhecido como grande difusor de tecnologias, o distribuidor Yoshida & Hirata também apresentou novos insumos que podem maximizar a produtividade das variedades, com linhas de fertilizantes inteligentes e defensivos biológicos, que já estão disponíveis para aquisição no mercado.

Flores da Sakata ornamentam projeto paisagístico do Show Rural

O jardim da 30ª edição do Show Rural, tradicional evento organizado pela Cooperativa Agroindustrial de Cascavel (Coopavel), destinado aos mercados de pecuária e grandes culturas, que aconteceu no mês de fevereiro, na cidade de Cascavel (PR), foi uma das grandes atrações da feira.

A ornamentação de flores no local foi apontada pelos visitantes como um dos grandes destaques do evento, estando presente tanto no ambiente de entrada do recinto, como também em diversas outras áreas da exposição. Segundo a engenheira agrônoma da Emater, Vania Rejane Baratto, responsável pela implantação do projeto paisagístico, “a cada ano temos aumentado ainda mais a área de paisagismo e a parceria com a Sakata vem engrandecer ainda mais este evento”, afirmou.

A novidade neste ano foi o plantio da nova série de Marigold Proud Mari, com o plantio de mais de 30 mil mudas da flor, juntamente com a tradicional SunPatiens. Lançada pela Sakata em 2017, a Marigold Proud Mari tem como características principais plantas compactas e bastante floríferas, disponível nas cores Yellow, Golden e Orange.

Neste ano, o Show Rural atraiu um público recorde, de mais de 265 mil visitantes, no qual 530 expositores apresentaram as mais recentes tecnologias para segmentos específicos do agronegócio.

Sayuri: a mini-couve chinesa, de sabor mais suave e adocicado

Pertencente à família das Brássicas, a couve-chinesa, que também é conhecida como acelga em diversas regiões, é muito utilizada na culinária oriental e possui bastante versatilidade no preparo: as folhas interiores são ideais para consumo cruas e em saladas, já as folhas exteriores ficam ótimas quando cozidas em água ou no vapor.

Atenta às tendências de mercado, a Sakata inovou mais uma vez com um produto diferenciado e desenvolveu a Sayuri, uma mini couve-chinesa que acaba de ser lançada pela empresa.

A nova variedade apresenta uma forma oval, com folhas enrugadas e crocantes, de cor verde clara brilhante. As folhas internas são mais tenras e apresentam uma cor amarela clara. A couve-chinesa Sayuri tem um sabor mais adocicado, porém suave, perfeito para quem não aprecia o sabor mais acentuado das couves tradicionais.

Outro grande atributo desta nova variedade é a ausência de tricomas, ou seja, de pelos, que normalmente existem nas folhas externas das couves-chinesas tradicionais, dificultando seu manuseio. Com peso médio de 1,5 kg, a Sayuri pode ser cultivada durante todo o ano, em campo aberto e também em sistema hidropônico. A cultivar apresenta ainda um ciclo produtivo precoce, com média de 70 dias do semeio à colheita, além de excelente durabilidade pós-colheita.

50 anos de Sakata: as mãos que escreveram esta história, plantam hoje o nosso futuro

Muitas ideias, motivação e forte trabalho em equipe. É assim que começamos o ano de 2018. Um ano mais do que especial, quando a Sakata Seed Sudamerica celebrará seus 50 anos de história e atuação no mercado sul-americano.

E para celebrar este importante marco, a companhia está preparando uma série de eventos comemorativos que envolverão todos os elos que compõem esta aliança de sucesso, responsáveis por contribuírem de forma ímpar para a projeção da marca Sakata como uma referência de confiança e qualidade no mercado.

Ao longo de sua trajetória, a Sakata sempre primou pela inovação e excelência no desenvolvimento de novos produtos, mas sem perder o foco na segurança e na sustentabilidade de seus negócios. Por isso, cresceu e evoluiu de mãos dadas com o produtor, oferecendo variedades resistentes e altamente produtivas, e entregando  hortaliças cada vez mais saborosas e nutritivas ao consumidor.

A Sakata empenha-se incansavelmente em um processo de melhoria contínua, ciente de que os bons resultados se conquistam com o trabalho e a dedicação de muitas mãos: clientes, fornecedores, colaboradores e agentes das cadeias de produção e distribuição. Juntos, agregamos continuamente, valor ao negócio, trazendo novas perspectivas que impulsionam, cada vez mais, o desenvolvimento de novos produtos e serviços de qualidade para o mercado.

Que venham as comemorações dos 50 anos da Sakata!

Boa leitura a todos!

Paulo Koch, Diretor de Marketing da Sakata

Robella 2 Pink, o Lisianthus da vez!

No mês de fevereiro, a Sakata recebeu a visita do Gerente Mundial de Lisianthus da Sakata Seed Corporation, Yuzuru Hotta. O profissional veio ao Brasil para conhecer os principais centros de comercialização de flores e ornamentais do país, como o Veiling, em Holambra (SP), e as Centrais de Abastecimento (Ceasas) da região. A ocasião possibilitou ainda a visitação a diversos produtores de Lisianthus, de modo especial, de Lisianthus Robella 2 Pink, variedade que apresentou excelente performance de produção nos campos brasileiros.

De acordo com Roberto Oki, Gerente de Flores e Plantas Ornamentais da Sakata, o Robella 2 Pink é a principal variedade no seu segmento, indicada para plantio de meia estação. “Esta cultivar possui uma planta vigorosa, com alta tolerância a doenças fúngicas. É bastante florífera – excelente para produção de “buquezinho” –, apresentando flores de tamanho médio e de coloração rosa clara”. Oki enfatiza ainda que “suas características agronômicas proporcionam um alto rendimento aos produtores e tornam esta flor muito apreciada tanto por consumidores, como por decoradores”.

Dia de Campo Verão 2018 reúne mais de 60 produtores no Cinturão Verde de São Paulo

No mês de fevereiro, aconteceu o Dia de Campo Verão 2018, promovido pelo distribuidor Yoshida & Hirata em parceria com a Sakata, no município de Biritiba Mirim (SP), localizado no Cinturão Verde de São Paulo. O evento, que reuniu mais de 60 produtores da região, apresentou aos participantes as cultivares mais adaptadas para produção durante o período mais quente do ano, fruto do trabalho de pesquisa da empresa no desenvolvimento de produtos adaptados às condições tropicais de cultivo.

No local, os produtores tiveram acesso a informações sobre as variedades ideais para uma maior rentabilidade durante a safra de verão, além de dados sobre o posicionamento regional de mercado de cada um destes produtos. Os grandes destaques foram as alfaces Dora (Americana), Larissa (Lisa) e Angélica (Mimosa), além do espinafre japonês Pina, do rabanete Ready e do coentro Santo, todas cultivares testadas e aprovadas pelos produtores da região do Alto Tietê.

O público presente ainda teve acesso aos lançamentos da empresa, como a alface crespa Jade e a mini couve-chinesa Sayuri. A variedade Jade promete ser uma excelente opção para cultivo durante o ano todo, com alta rusticidade e excelente aceitação pelos principais compradores. Já a cultivar Sayuri, outra grande novidade, concilia facilidade na produção com ótimo sabor e apresentação visual.

O distribuidor Yoshida & Hirata, reconhecido como grande difusor de tecnologias, também apresentou novos insumos que podem maximizar a produtividade das variedades, com linhas de fertilizantes inteligentes e defensivos biológicos, que já estão disponíveis para aquisição no mercado.